Ilex paraguariensis A.St.-Hil. 

caáguaçu , carvalho branco, caúna, erva mate, erveira

 Aquifoliaceae

Ilex paraguariensis var. sincorensis

 não 2

 Mata Atlântica, Cerrado (Cerrado), Caatinga 2

 Silvicultura

A espécie apresenta grande valor econômico pela utilização de suas folhas como chá, além do que, possui propriedades fitoquímicas, com grande potencial para outras aplicações industriais A erva-mate cresce preferencialmente nas associações mais evoluídas dos pinhais. Regenera-se com facilidade quando o estrato arbóreo superior e, principalmente, os estratos arbustivo e herbáceo são raleados. Varia de arvoreta a árvore perenifólia. Sua altura é variável; quando cultivada, oscila de 3 a 5 m, mas na floresta, pode atingir até 30 m de altura e 100 cm de DAP, na idade adulta. Para a produção de biomassa da copa, a condução das erveiras tende a podas anuais ou até de ano e meio, deixando-se de 20 a 30% das folhas bem distribuídas nas plantas, buscando-se a formação de "taça" para as plantas. É possível o aproveitamento do resíduo após o beneficiamento das folhas, que é usado pelos hortigranjeiros. Há dois tipos de produtos da erva-mate: produtos que exigem pouca modificação da matéria-prima natural (chimarrão, mate queimado e tereré), e produtos que utilizam extratos (mate solúvel e refrigerantes). Tereré não é chimarrão. A erva, apesar de ser a mesma, passa por um processamento diferente para ficar com gosto mais suave. A folha da erva-mate também é usada na medicina popular, na forma de chás. As propriedades principais da erva-mate são: estimulante, diurética, estomáquica e sudorífica. Ela contém um componente chamado nieroxina, que é um anti-inflamatório do sistema urogenital, atuando também contra a obesidade, nos regimes de emagrecimento.

 - 

Características geraisabrir
Cuidadosabrir
Ecologia & reproduçãoabrir
Produção de mudasabrir
Dados madeireirosabrir
Bibliografiaabrir