Holocalyx balansae Micheli 

alecrim das matas , alecrim de campinas, alecrim do campo, pau alecrim, pau de rego

 Fabaceae

 não 4

 Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga 4

 Silvicultura

Árvore perenifólia, com 5 a 10 m de altura e 20 a 50 cm de DAP, podendo atingir até 25 m de altura e 100 cm de DAP, na idade adulta. O alecrim é recomendado para reposição de mata ciliar em locais sem inundação para plantio em margem de represa com piscicultura. O fruto, cuja polpa madura é suculenta, adocicada e um tanto ácida, serve de alimento para vários animais silvestres, como veado, anta e o periquito maitaca, que também são seus principais dispersores. É uma espécie largamente utilizada na arborização de parques, praças e ruas, sua copa é compacta e mantém-se sempre verde, assumindo formato arredondado, mais desenvolvida quando isolada. As sementes são tidas como tóxicas. O alecrim não deve ser utilizado como árvore de sombra para o gado, por ser espécie tóxica. As folhas, talos foliáceos e sementes encerram glucósidos cianogênicos, que podem ser tóxicos ou medicamentosos, de acordo com a sua dose. Usa-se em forma de banhos para combater o reumatismo. O chá serve para tosse e afecções das vias respiratórias, além de ser usado para baixar a pressão. A madeira do alecrim pode ser usada em marcenaria de luxo, tacos de bilhar, construção pesada, dormentes, forro, móveis, mourões, postes, ripas, cabos de ferramenta e peças torneadas.

 produtos madeireiros (cabo de ferramentas, dormentes, mourões, peças torneadas, poste, caibros, forro e teto, ripas, carpintaria e marcenaria), produtos não madeireiros (recurso para fauna, medicinal, ornamental) 2

Características geraisabrir
Cuidadosabrir
Ecologia & reproduçãoabrir
Produção de mudasabrir
Dados madeireirosabrir
Bibliografiaabrir